ANA PAULA COUTINHO

ANA PAULA COUTINHO

Título: Pós-exilio no feminino: a incorporação de prolongamentos e metamorfoses

Resumo: O meu objectivo é explorar o modo como se manifesta a temporalidade exílica em obras de autoras directamente ligadas a uma exiliência lusófona, ou seja, a uma desterritorialização que se pensa, que se diz ou que, de alguma forma, está relacionada com a língua portuguesa ( Lídia Jorge, Tatiana Salem-Levy, Brigitte Paulino-Neto, Helena Vieira da Silva, Noémia Delgado…). Em vez de considerar o pós-exílio como uma simples sequência cronológica do exílio, partirei do princípio de que os dois partilham da mesma carga existencial, procurando evidenciar em que medida esse questionar de uma linearidade cronológica pela subjectivação e pela transmissão, designadamente artísticas, da experiência, alarga de modo significativo o papel das mulheres na História da emigração e do exílio.

*
Ana Paula Coutinho é Professora associada do Departamento de Estudos Portugueses e Românicos da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, onde tem lecionado sobretudo nas áreas da Literatura Comparada e dos Estudos Franceses. Doutorada em Literatura Comparada (1998) e com Agregação em Literaturas e Culturas Românicas (2010), sempre se dedicou à literatura contemporânea numa perspectiva comparatista, tendo nos últimos anos desenvolvido particular investigação no domínio das interculturalidades e das representações literárias e artísticas das migrações e do exílio. Integrou vários anos a Direcção do Instituto de Literatura Comparada (2001-2003; 2012-2015; 2015…) e é actualmente a sua Coordenadora Científica. Coordena igualmente a base digital Ulyssei@s. Membro colaborador do CRIMIC (Université Paris IV), colabora ainda com o Programa Non-Lieux de l’Exil (Collège d’Études Mondiales – FMSH). É vice-presidente da Alliance Française do Porto. Tem vários artigos publicados em revistas e outras publicações colectivas, nacionais e estrangeiras (Colóquio/Letras, Cadernos de Literatura Comparada, Revue de Littérature Comparée, Diogène, Gávea-Brown, Carnets, Latitudes: Cahiers Lusophones,Intercâmbio…). Dos livros publicados ou editados, destacam-se António Ramos Rosa. Mediação Crítica e Criação Poética (Quasi Edições, 2003. Prémio Ensaio Pen-Club); Lentes Bifocais – Representações literárias da Diáspora Portuguesa (Afrontamento, 2009), Passages et Naufrages migrants. Les fictions du détroit (com Maria de Fátima Outeirinho e José Domingues de Almeida), Paris, L’Harmattan, 2012; Nos & leurs Afriques. Images identitaires et regards croisés Constructions littéraires fictionnelles des identités africaines cinquante ans après les décolonisations (com Maria de Fátima Outeirinho e José Domingues de Almeida) Frankfurt, Berlin, Peter Lang, 2013; Marguerite Duras. Palavras e Imagens da Insistência, ILCML, Colecção Libretos, 2015.