MARIA ARAÚJO SILVA

MARIA ARAÚJO SILVA

Título: Cartografias do exílio na obra de Maria Ondina Braga

Resumo: A obra de Maria Ondina Braga constrói-se em torno de dinâmicas exílicas, ora como deslocação exterior, viagem pela interioridade e condição para a escrita. O desenraizamento, desejado ou forçado, está no centro das suas obras, onde vozes femininas se unem para expressar sentimentos de pertença ou estranhamento, experiências de apartamento e encontro, o desejo de afastamento ou a tentação das raízes, o apelo da alteridade geográfica e cultural que funciona como catalisador de um incessante questionamento identitário. Propomo-nos analisar a experiência exílica na obra de Maria Ondina Braga, em torno da qual se destacam as principais linhas de força de um discurso onde a geografia da distância, o fascínio pelo exótico e as representações do Diverso ocupam um lugar de relevo.

*
Maria Araújo Silva é Professora Associada na Universidade da Sorbonne (Paris IV), onde leciona desde 2006. Autora de uma tese de Doutoramento sobre a obra de Maria Ondina Braga, trabalha sobre literatura portuguesa contemporânea e interessa-se particularmente pela escrita de autoria feminina. Obteve, em 2009, o Prémio Literário Maria Ondina Braga com um ensaio intitulado A viagem em busca de identidade na obra de Maria Ondina Braga e publicou vários artigos sobre literatura portuguesa contemporânea em obras coletivas e revistas de estudos lusófonos (Les Langues Néo-latines, Quadrant, Censive, Latitudes). Actual membro do CRIMIC – Paris Sorbonne (Centre de Recherches Interdisciplinaires sur les Mondes Ibériques Contemporains), tem atualmente no prelo o livro Voyage et quête identitaire chez Maria Ondina Braga, Argenteuil, Editions Convivium Lusophone, 2016 e, em colaboração com Maria Graciete Besse, o volume Femmes oubliées dans les arts et les lettres au Portugal (XIXe-XXe siècles), Paris, Editions Indigo&Côté-Femmes, 2016.