MARIA DO ROSÁRIO LUPI BELLO

MARIA DO ROSÁRIO LUPI BELLO

Título: Do exílio como história ao exílio como condição: as figuras femininas em Tabu, de Miguel Gomes

Resumo: Recusando a hipótese de pretender retratar a dimensão “colonial” portuguesa no seu muito premiado filme de 2012, Tabu, o cineasta Miguel Gomes tem sublinhado a vontade de dar predomínio à ficção e à narrativa sobre a História em sentido estrito. É, porém, reconhecendo o cruzamento entre esses dois âmbitos (o factual e o ficcional) que pode penetrar-se no dilema de Aurora, a protagonista desta espécie de fábula romântica de ressonâncias políticas que relaciona três diferentes mulheres (Aurora, Pilar e Santa) em distintas situações mas idêntica condição de exílio. Estabelecendo pontes com a obra anterior do mesmo realizador, “Aquele querido mês de Agosto” e com outros filmes portugueses (como “A costa dos murmúrios”), a presente comunicação pretende questionar a representação do exílio feminino na cinematografia portuguesa recente, tendo como ponto de apoio, de sugestão e de síntese o filme de Miguel Gomes que explicitamente se diz herdeiro de F.W. Murnau.

*
Maria do Rosário Lupi Bello é Professora Auxiliar na Universidade Aberta, em Lisboa, onde lecciona nas áreas dos Estudos Fílmicos, da Teoria da Literatura, da Literatura Comparada e dos Estudos Interartes, tendo feito o seu doutoramento em Teoria da Literatura (relação entre a narrativa literária e a narrativa fílmica) em 2002 na Universidade Aberta, do que resultou o livro Narrativa Literária e Narrativa Fílmica. O caso de “Amor de Perdição” (1ª ed 2005, 2ª ed 2008). Leccionou no Mestrado em Estudos sobre as Mulheres da Uab entre 2004 e 2007 e como professora convidada deu Tradição dos Grandes Livros na Universidade Católica Portuguesa (2003-2004) e Narratologia Fílmica na Universidade de Coimbra (2005-2007), tendo sido responsável por dois cursos de Pós-Graduação em Literatura e Cinema no Brasil (na USP de São Paulo e na PUC do Rio de Janeiro (2011-2012) e de Dramaturgia e Cinema na UNESP (Araraquara – 2016). É coordenadora da Licenciatura em Humanidades e Vice-Coordenadora do Mestrado em Estudos Comparados – Literatura e Outras Artes, ambos da Universidade Aberta. Além de membro do CECC (Centro de Estudos de Comunicação e Cultura, sediado na UCP) colabora com o CETAPS (Centre for English, Translation and Anglo-Portuguese Studies), fazendo investigação e publicando sobretudo nas áreas da Teoria da Narrativa e dos Estudos Fílmicos, com particular enfoque em cineastas como Manoel de Oliveira, Andrei Tarkovsky, Carl Dreyer e Robert Bresson.