MIRIAN ZAPPONE

MIRIAN ZAPPONE

Título: Mulheres e exílio no Brasil colonial em narrativa juvenil brasileira: representações em Sortes de Villamor, de Nilma Lacerda

Resumo: Muito embora os últimos anos tenham assistido a muitas ondas migratórias patrocinadas, particularmente, pela globalização que permite o fluxo de pessoas em diferentes partes do globo, os processos de colonização desencadeados a partir do século XVI podem ser considerados um momento ímpar nos processos migratórios. É no cenário do Brasil colônia, cadinho de gentes e costumes, que se centra a narrativa juvenil brasileira intitulada Sortes de Villamor, de Nilma Lacerda, na qual a autora visita a cidade de São Salvador ao final do século XVIII, eivada por levas de estrangeiros – franceses, angolanos, holandeses, portugueses, índios e outros que fecundariam a nação brasileira. É neste contexto que insere duas personagens femininas, a francesa Branca de Villamor e a ex-escrava angolana Ismê Catureba, cujas diferenças sociais e étnicas serão abolidas pela experiência comum enquanto sujeitos migrantes. Ao patrocinar a representação da exiliência feminina, Nilma Lacerda expõe a trajetória das personagens que passam, indelevelmente, pela experiência da violência e da fraternidade enquanto processos de construção identitários.

*
Mirian Hisae Yaegashi Zappone realizou estudos de doutorado em Letras (Teoria Literária e Outras produções artísticas) na Unicamp (2001), sob a supervisão da profa. Dra. Marisa Lajolo e estudos de pós-doutorado na Universidade de Brasília (2015), sob a supervisão da profa. Dra. Regina Dalcastagnè. É professora associada da Universidade Estadual de Maringá, desde 1993, sendo lotada no Departamento de Teorias Linguísticas e Literárias no qual atua como professora do Curso de graduação em Letras e no Programa de Pós-Graduação em Letras (PLE). Desenvolve projetos de pesquisa relacionados ao ensino de literatura e à literatura infantojuvenil brasileira. Coordena o grupo de pesquisa intitulado Produção, recepção e circulação de textos ficcionais (PRCTex) registrado nos Grupos de Pesquisa da Capes. Nesta linha de pesquisa, orienta dissertações de mestrado e doutorado em nível de pós-graduação.